O Que Não Dizer na Hora das Refeições

A alimentação dos filhos sempre gera dúvidas, pois, a maioria das crianças dá trabalho na hora de comer o que acaba tirando a paciência dos pais e fazendo-os agir de forma errada.

Fazer com que as crianças se alimentem bem para ter um bom crescimento é uma tarefa complicada porque elas ainda não têm um paladar desenvolvido e acabam rejeitando grande parte das comidas saudáveis que lhe são oferecidas

Confira algumas ideias e dicas para tornar as suas refeições mais agradáveis.

O que fazer quando a criança faz birra para comer

Diante da birra dos pequenos é importante saber o que não dizer na hora das refeições para não acabar traumatizando as crianças.

Um estudo feito pelo departamento de psicologia da PUCRS concluiu que mais de 96% dos pais dão ordem na hora de conduzir a alimentação o que causa um trauma nas crianças que acabam associando aquele momento da refeição e o alimento que é obrigada a comer a algo ruim.

O que não dizer na hora das refeições

“Coma as verduras ou não terá sobremesa”

Não é recomendado associar a alimentação com recompensa ou punição, fazendo a criança pensar que deve passar pelo fardo de comer algo saudável só para ganhar guloseima.

Esse tipo de atitude pode ter efeito imediato, porém, pode ser danoso para o paladar da criança e gerar traumas que vão se estender até a adolescência ou vida adulta.

Certamente você já encontrou alguém que odeia certo alimento só porque a mãe obrigava a comer na infância.

O certo é tentar explicar à criança a importância de comer verduras que são fontes de vitaminas e necessárias para elas crescerem bem e fortes.

“Você só vai sair da mesa se comer tudo o que está no prato”

Ver que o filho comeu tudo que tinha no prato é motivo de satisfação, porém, é importante saber que a necessidade calórica das crianças é menor que a dos adultos, então fazer um prato cheio e obrigá-la a comer tudo pode levá-la ao sobrepeso.

Se a criança comeu algo antes do almoço pode não querer comer a mesma quantidade do dia inteiro, sendo que, é necessário respeitar a saciedade do filho, e como todos sabem que não é certo desperdiçar comida, vale fazer um prato menor para ele e se ainda tiver com fome pode colocar um pouco mais.

“Seu irmão (ou primo, amigo…) está comendo direitinho. Você devia aprender com ele”

Pesquisas comprovaram que as crianças se espelham no comportamento das pessoas em sua volta, porém, não deve pontuar diferenças comparando-o ao irmão que come verduras.

Não é indicado colocar a criança em um contexto de inferioridade o que deve fazer é reforçar que ela é capaz de comer verduras como o irmão.

Não se esqueça também que não adianta ficar só no discurso é necessário que você coma verduras, pois, a interação da família é fundamental nos momentos das refeições.

“Não coma. Faz mal!” ou “Coma, faz bem!”

Os nutricionais infantis explicam que essas frases só funcionam se vierem acompanhadas com algo concreto.

O indicado é explicar com algo que a criança entenda, por exemplo, se você falar “coma brócolos para ajudar no fortalecimento dos seus ossos” é bem menos eficiente do que dizer “se comer brócolis vai ficar mais forte e se machucar menos quando cair”.

“O que você quer que eu cozinhe para você hoje?”

Perguntar o que a criança quer comer ainda mais depois dela fazer cara feia para o que tem na mesa não é certo, pois, ela vai achar que tem o domínio e com as escolhas nas mãos vai querer comer só comidas agradáveis e de fácil mastigação como macarrão, bife e batata frita.

Os especialistas ensinam que os pais devem se manter firmes com a refeição que tem a mesa, mas é importante ter paciência porque a criança precisa ter 12 vezes contato com a comida antes de saber se gosta ou não.

“Olha o aviãozinho”

Fazer esse tipo de brincadeira na hora da refeição pode gerar sérios problemas porque para o momento da refeição ser prazeroso é necessário que a criança preste atenção na textura, gosto, cheiro e formatos dos alimentos.

“Você pode almoçar vendo televisão desde que coma tudo”

Deixar as crianças se levantar da mesa e ir para sala para comer vendo TV não é indicado, porque é o mesmo problema do aviãozinho, pois, tira o foco da alimentação.

Isso pode desencadear problemas como obesidade e desnutrição, sendo fundamental fazer todas as refeições na mesa com a família.