Alimentação infantil: como criar o gosto por legumes e verduras

Acredite ou não, a alimentação infantil ainda é um assunto complicado, pois os pais não sabem ou não conseguem lidar com o fato de que muitas crianças não comem legumes e verduras!

O que pode se tornar um problema no desenvolvimento, assim como pode causar outros transtornos devido a falta de nutrientes e vitaminas encontrados numa alimentação equilibrada.

Um exemplo de distúrbio que pode se desenvolver quando a criança não come verduras e legumes, apostando em outros tipos de alimentos, é o do colesterol alto.

Como melhorar a alimentação infantil

O ideal é começar com uma introdução alimentar variada – a partir dos 6 meses de idade. Isso irá permitir que o organismo da criança absorva vitaminas e minerais necessários, assim como as fibras, que ajudam a regular o intestino. Também auxiliam na prevenção de doenças como pressão alta, diabetes tipo 2 e obesidade, que vem se tornando cada vez mais comum entre os pequenos.

A Sociedade Brasileira de Pediatria recomenda que a partir do momento que a criança sai do período exclusivo do aleitamento materno, deve ser oferecido para as crianças frutas, legumes e verduras, mesmo diante da rejeição. De acordo com a pesquisa publicada pela British Journal of Nutrition “introduzir legumes e verduras no começo da vida dos bebês pode ter implicações importantes na sua saúde futura”.

Ainda de acordo com essa pesquisa, “crianças mais velhas (ou adultos) podem demorar até 14 vezes ou mais antes de passarem a gostar de algo, mas bebês e crianças pequenas são bem mais abertas a aceitarem novos sabores”. Portanto, melhorar a alimentação infantil e garantir que a sua dieta seja ampla é fundamental para o desenvolvimento futuro.

Aprenda como lidar e o que fazer para que os seus filhos criem esse hábito alimentar saudável:

  1. Coloque-se no lugar da criança

Oferecer novos ingredientes e pratos às crianças será sempre uma surpresa! Assim como quando os adultos experimentam um novo prato ou ingrediente.

Pode agradar ou não num primeiro momento e, quando repetido ou elaborado de outra maneira, poderá se tornar mais saboroso.

Lembre-se que o bebê estava acostumado a um único sabor: o do leite materno.

  1. Tente agradar aos olhos (também)

As crianças às vezes torcem o nariz antes mesmo de provar a comida. Em alguns casos isso se deve a apresentação do prato.

Por isso, use a criatividade nessa fase da alimentação infantil para montar pratos atraentes e coloridos, que agradem logo no primeiro momento.

  1. Não esconda a comida no prato

A tática de tentar enganar a criança colocando pedaços de couve no purê ou o bife em cima da beterraba não adianta! Além de criar uma certa desconfiança cada vez que ela for comer, não ensina que é importante e saboroso aquele alimento.

Uma dica para contornar essa situação é colocar os legumes e as verduras nas receitas.

Por exemplo, bater a beterraba no feijão, fazer uma torta de legumes, criar bolinhos assados ou hambúrgueres de brócolis e assim por diante. Mas atenção! Não faça isso sempre, pois o ideal é que a criança aprenda a gostar do sabor do alimento.

  1. Estimule o apetite para uma alimentação infantil balanceada

Quando as crianças estão com fome, fica muito mais fácil ter uma alimentação infantil correta. Portanto, não dê biscoitos ou petiscos em cima da hora da refeição, pois isto acaba por reduzir o apetite. Não coloque a sobremesa à vista para que ela pense apenas no doce e se esqueça do prato principal.

E, se essas estratégias não resultarem, converse com o médico pediatra sobre a possibilidade de oferecer uma vitamina para abrir o apetite infantil.

  1. Insista e não desista

É muito mais fácil que as crianças gostem de doces, mas não para os demais sabores. Entretanto, é preciso insistir e não desistir na terceira vez que o bebê ou a criança rejeita ou não come tudo por dizer que não gosta!

Fazer o filho comer legumes e verduras com gosto pode ser complicado, mas deve fazer parte da rotina de alimentação infantil. Mas é preciso tentar por pelo menos oito vezes! Assim as chances de começar a apreciar o sabor aumentam.

  1. Seja um exemplo

Fica difícil querer que seus filhos comam verduras e legumes se você não faz o mesmo.

Se tiver uma travessa de legumes em cima da mesa que não é tocada, esse é um mau exemplo para as crianças. A família precisa ter ou ganhar o hábito de se alimentar bem.

Muitos não entendem como os filhos comem de forma saudável fora de casa ou na escola, mas em casa rejeitam tudo que seja saudável. A explicação é que eles seguem exemplos dos coleguinhas.

Hábitos que podem ajudar na alimentação infantil

Levar os pequenos ao supermercado ou feira para ajudar a escolher e tocar nos alimentos, envolvê-los de forma segura no preparo da comida e apostar no ritual de todos se sentarem à mesa são alguns dos hábitos que podem ajudar as crianças a comerem bem.

Não exagera na atenção

Se na sua casa toda refeição vira um circo, a criança se recusa a comer, faz birra, se levanta da mesa e acaba atrapalhando toda a dinâmica da refeição,  você tem um problema! Nesse caso, é preciso ser um pouco mais rígido e não deixar a criança pensar que está no comando. Talvez ela queira apenas chamar atenção e, quando ignorada, o cenário perde a graça.

Estabeleça uma rotina de alimentação infantil saudável para que ela, ao crescer, se torne uma pessoa assim. Por exemplo, na hora da refeição é preciso desligar a televisão e não mexer no celular. Isso fará com que a criança aprenda a lidar com os momentos certos para cada atividade, além de se alimentarem melhor.

Advertisement