Tudo sobre o resguardo

A gravidez traz muitas recompensas, e a maior delas é gerar um ser humano que vai acompanhar os pais por toda a vida. Com todos os desafios, vale muito a pena. Mas existem sempre os problemas e o lado negativo de tudo, e o resguardo é um deles.

O resguardo é o período que a mãe passa se recuperando fisicamente depois do parto.

É nesse período que o corpo da mulher volta ao estado normal, anterior ao da gravidez, com a única diferença da produção de leite materno. Nesse artigo iremos explicar quais as limitações desse período, e o que a mulher pode e não pode fazer para ter uma melhor e mais rápida recuperação pós-parto.

O que é o resguardo?

Resguardo, puerpério ou quarentena é o período pós-parto onde a mulher ainda está se recuperando fisicamente do mesmo.

Um dos nomes é quarentena porque esse período de recuperação é de cerca de quarenta dias, independentemente de o parto ser uma cesariana ou normal.

Estágios do resguardo

O resguardo é dividido em estágios, independentemente da mulher. O que muda às vezes é a duração dos estágios. Os estágios são:

Imediata

Essa etapa começa logo após o parto e dura apenas duas horas.

Mediato

Essa fase de recuperação começa logo após a fase de imediata e vai até o 10° dia após o parto. Nesse período o útero vai aos poucos voltando à forma original. A loquiação, secreção genital eliminada pouco após o parto, sai amarela e em pouca quantidade.

Tardio

Essa fase começa no 10° dia e vai até o 45° dia.

Remoto

Esse período vai do 45° dia pós-parto e vai até o próximo período fértil da mulher.

O que se pode e o que não se pode fazer no período de resguardo

Durante o resguardo a mulher não pode e nem precisa ficar de cama por todo o período, e existem limitações, mas não são totais.

O que se pode fazer no resguardo

Uso de absorventes internos;

Subir escadas;

Dirigir após duas semanas do parto;

Depilação;

Atividades físicas leves, como caminhadas e ioga, após 15 dias do parto.

O que não se pode fazer durante o resguardo

Dirigir nas primeiras duas semanas;

Relações íntimas;

Pintar o cabelo;

Atividades físicas moderadas ou intensas;

Carregar peso.

O que não se pode comer durante o resguardo

Durante o resguardo, certos alimentos podem causar infecções, principalmente no caso da cesariana, mas também em caso de parto normal. Os alimentos proibidos são:

Chocolate,

Coca-Cola

Chás,

Canela, alho, soja, ovos e nozes;

Pepino, couve, milho e brócolis, pois podem causar desconfortos intestinais;

Alimentos ricos em enxofre, como a pimenta;

Salsa e menta, por diminuírem a produção de leite;

Qualquer bebida alcoólica.

Advertisement